Presidente do instituto Ibope disse que eleição será sem carisma. “Não acredito mais em eleições que empolguem”

Wanderley Preite Sobrinho, do R7 – 8/06/2010 – 17:11

O Brasil só vai pensar em eleições depois da Copa do Mundo. A avaliação é do presidente do instituto Ibope, Carlos Augusto Montenegro, que falou nesta terça-feira (8) em São Paulo sobre prévias eleitorais para o Lide, um grupo formado por líderes empresariais de corporações nacionais e internacionais. Ele disse ainda que a campanha não deve primar pelo carisma dos principais candidatos e falou sobre o real poder de influência das pesquisas nas eleições.

Questionado pelos empresários sobre o panorama atual da corrida eleitoral, Montenegro disse que ainda é cedo para apontar o favoritismo de algum candidato porque boa parte do eleitorado brasileiro só vai querer pensar no assunto depois que acabar a Copa.

– Um terço da população vai se definir mais adiante porque agora o pessoal quer pensar na Copa do mundo.

Ele também disse que uma pesquisa de intenções “nada mais é do que foto de um momento”.

– Até o final da eleição, teremos um álbum.

Montenegro também tratou da real influência que uma pesquisa tem uma eleição. Ele disse que os levantamentos trazem votos de forma indireta:

– Pesquisa influencia em arrecadação porque dá-se mais dinheiro para quem está melhor colocado. Elas influenciam acordos políticos, que dão, por exemplo, mais tempo de televisão para um candidato ou outro.

Ele também falou sobre o que esperar das campanhas dos principais candidatos, José Serra (PSDB), Dilma Rousseff (PT) e Marina Silva (PV).

– Eles vão ter de brigar para mostrar currículo e capacidade de trabalhar porque o carisma do Lula [presidente Luiz Inácio Lula da Silva] é intransferível. O convencimento terá de ser pelo político porque não terá nada emocional. Nem a Marina, que tem uma vida mais parecida com a de Lula, parece ter o carisma do presidente. A eleição será mais fria. Não acredito mais em eleições que empolguem.

O presidente do Ibope também fez duras críticas a uma entrevista que ele concedeu à revista Veja. Na primeira resposta, fez questão de dizer que a publicação omitiu parte de suas declarações, especialmente sua avaliação sobre o presidente Lula, “o presidente mais popular de todos os tempos”.

– O presidente [Lula] talvez esteja no mesmo patamar de Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek, mas como pouca gente viveu aquele período, Lula certamente sairá como o presidente mais popular de todos os tempos.

Procurada, a assessoria da revista ainda não respondeu ao R7.

A diretora-geral do Ibope, Márcia Cavallari, lembrou que Lula está colhendo os frutos plantados não só por ele, mas também pelos ex-presidentes Fernando Collor de Melo e Fernando Henrique Cardoso.

– Collor abriu a economia, FHC estabilizou e Lula investiu no social, mas as pessoas ainda não percebem essa construção e atribuem todos os benefícios ao Lula.

____________________________

http://www.hojeemdia.com.br/cmlink/hoje-em-dia/noticias/politica/um-em-cada-tres-eleitores-so-decidira-voto-depois-da-copa-1.127996

Anúncios