Do Traduzindo o Juridiquês.

Segue transcrita mais uma notícia surreal, ocorrida no país da piada pronta. Comento no final.

Mulher é vitima do crime ‘saidinha de banco’ dentro de delegacia em SP

Publicada em 14/05/2010 às 07h11m | Bom Dia S.Paulo, TVTEM

SÃO PAULO – Uma mulher foi vítima do crime ‘saidinha de banco’ dentro de uma delegacia de Salto, a 97 km da capital paulista. Ela lutou com os ladrões para impedir que eles levassem a bolsa com os R$ 13.500 que havia sacado no banco. Não adiantou: foi roubada. Nenhum policial tentou impedir a ação dos bandidos.
A mulher entrou na delegacia para prestar queixa de um celular clonado e foi surpreendida pelo bandido.

– Entrou um rapaz alto e forte: ‘Eu quero a bolsa’. Ele puxou de um lado, eu puxei de outro. Arremessei por cima do balcão. Passou por cima das atendentes e caiu do lado de dentro. Ele subiu no balcão, pulou para o lado de dentro. Eu pendurei nele. Quando viu que não se livrava de mim de jeito nenhum, ele gritou para o comparsa: “Atira nela!”. Aí eu soltei.

A mulher ficou com o braço machucado. Ela afirma que dois escrivães que estavam na delegacia não fizeram nada e, depois, um deles disse que não interferiu porque achou que era uma “briga de marido e mulher”.

A vítima diz que achou o cúmulo do absurdo.

– Fiquei assim tão impotente, que fiquei pensando: E agora? Vou reclamar aonde, com o bispo? Porque onde a gente vai reclamar e na delegacia, se nem lá eu tenho segurança vou reclamar aonde?

Qualquer semelhança com uma cena de Fucker & Sucker, da turma do Casseta & Planeta, será mera coincidência? A Corregedoria da Polícia Civil de São Paulo deve investigar com rigor a conduta flagrantemente omissiva dos policiais. Pela reportagem, a impressão que fica é que uma briga de marido e mulher, com o marido pedindo para um comparsa atirar na esposa, é algo corriqueiro por lá, que não merece qualquer intervenção dos agentes públicos…

Por outro lado, a vítima não deve mesmo reclamar com o bispo nem com o delegado. Melhor registrar o roubo na própria delegacia (e tome surrealismo!) e ingressar com uma ação de responsabilidade civil contra o Estado, pleiteando o dinheiro roubado, a título de danos materiais, e uma indenização a título de danos morais. Se ela sacou o dinheiro do banco um pouco antes, será fácil obter a prova na instituição bancária.

____________________________

http://oglobo.globo.com/blogs/juridiques/posts/2010/05/14/o-assalto-na-delegacia-a-responsabilidade-civil-do-estado-291630.asp

Anúncios