Do site da UFMA.

UFMA contribui para melhorar realidade de leitura no Brasil

No dia 23 de abril é comemorado em todo o mundo o dia do livro, mas o Brasil em especial não tem muito que comemorar. A média de leitura é de apenas um livro por ano, segundo levantamento do Instituto Pró-Livro realizado em 2007.

No contexto universitário, a média de leitura é maior, mas ainda não é a ideal, visto que boa parte do que é lido pelos universitários não é resultado de iniciativa própria, mas de conteúdos cobrados por professores.

O gestor de acervos do Núcleo Integrado de Bibliotecas da UFMA Carlos Wellington Martins explica que a função da biblioteca universitária é de apoiar o conteúdo pedagógico na vida acadêmica do aluno.

Para ajudar a mudar a realidade brasileira, o Núcleo Integrado de Bibliotecas – NIB da UFMA conta atualmente com 87.697 títulos diferentes de vaias áreas do conhecimento, somando 242.859 exemplares dispostos nos Campi de São Luis, Chapadinha, imperatriz e Codó. Além disso há o acervo virtual, onde se encontram dissertações de mestrado e teses de doutorado digitais.

Outra fonte de leitura é o portal de periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES), onde são armazenados os artigos científicos. A coordenadora administrativa de setoriais do NIB-UFMA Suênia Mendes alerta para o fato de que o Maranhão é apenas o 24º estado em acessos ao portal da CAPES. “A estrutura existe, o que falta é uma maior participação da comunidade acadêmica dentro das possibilidades existentes”, argumenta Suênia.

A área de humanas é o campo onde há o maior registro de empréstimos na UFMA,segundo Carlos Wellington. Ele justifica esse fato por existirem disciplinas de tronco comum nesta área na maioria dos cursos.

Nas ciências exatas, o professor do Departamento de Física Carlos Willian Paschoal relata que seus alunos pouco desenvolvem o hábito da leitura, se prendendo mais aos exercícios técnicos. “Entendo que a leitura de conteúdos literários e da atualidade é fundamental para uma melhor compreensão do mundo como um todo por parte do aluno, além de ajudá-lo na formação profissional”.

Entretanto há os casos de amor pela leitura. A estudante do curo de letras Daniela Santos afirma ter o hábito da leitura e gostar de praticá-lo. “Costumo ler livros relacionados ao meu curso e também literários, e gosto de fazer isso!”, afirma Daniela.

Outras informações do acero da UFMA

Obra mais antiga: Curso de Litteratura Portugueza e Brazileira, de Sotero dos Reis do (1866).

Livros de ficção, romance e contos que contabilizam 3.502 títulos e 6.503 exemplares.

Livros mais procurados: 1808 – Laurentino Gomes, A menina que roubava livros e O caçador de Pipas.

Lugar: ASCOM/UFMA
Fonte: Marcos André Soares
Notícia alterada em: 22/04/2010 18h32

____________________________

http://www.ufma.br/noticias/noticias.php?cod=8046

Anúncios